Cura e Alternativas

A DC não tem cura, mas não deve por isso levar a uma vida menos normal. Mas esta condição alimentar não deve levar a que o doente celíaco se sinta constrangido pelo facto de não poder consumir certos alimentos e produtos. A forma de manter uma qualidade de vida elevada é a Dieta Isenta de Glúten (DIG) para toda a vida, que consiste em usar como alternativa produtos sem glúten. Que como podemos ver no campos das receitas deste site, não é tão complicado como pode parecer, exige apenas algum esforço inicial, para aprender quais os produtos que se podem ou não ingerir, e depois descobrir as formas mais confortáveis de contornar o “problema”.

A DIG deve ser equilibrada, mas rigorosa e saudável sendo os alimentos proibidos substituídos por outros sem glúten. Como já foi referido, o glúten encontra-se nos cereais como: trigo, cevada, centeio e aveia, deve por isso evitar-se alimentos que contenham algum deles.

Ao longo dos anos, têm-se vindo a desenvolver estudos no sentido de arranjar curas, ou formas de minimizar os efeitos da DC, existindo actualmente projectos científicos como:
– A vacina, que não apenas preveniria os efeitos, mas curaria  a DC;
– Os comprimidos que anulariam os efeitos/sintomas, permitindo ao celíaco a ingestão de produtos com glúten, sem que o seu organismo reagisse negativamente.

No que diz respeito à vacina, o seu desenvolvimento está a ser feito por uma equipa de cientistas australianos, tendo já sido testada com sucesso em animais. É possível que os testes em humanos comecem em breve. O responsável pela investigação, informa que a vacina contém um fragmento de glúten que educaria o organismo a ser tolerante, fazendo com que deixasse de ser sensível ao glúten.

Quanto aos comprimidos, que poderão ser uma alternativa mais imediata, pois os seus testes já se encontram na fase 2b (sendo que a 3ª é a última fase antes da comercialização,  apesar de que cada fase dura cerca de 10 anos). Os comprimidos chamados “antagonistas dos receptores da zonulina”, que é a proteína relacionada com a permeabilidade dos tecidos epiteliais do intestino, que tem valores superiores nos celíacos do que na restante população. Está a ser testado num grupo de pessoas, e apresenta uma eficácia que tem efeitos num período de três horas, devendo por isso ser ingerido antes de cada refeição.

OUTRAS ALTERNATIVAS:
Estão a ser testadas novas possibilidades de cura, como: a desintoxicação da gliadina; a realização de suplementos orais de enzimas especiais; o fabrico de compostos que bloqueiem o local de adesão das moléculas nocivas aos celíacos e a administração nasal de gliadina por forma a adquirir tolerância à mesma.

Estas e outras informações, podem ser encontradas em diversos sítios da internet como:
Associação Portuguesa de Celíacos
Associação Portuguesa de Nutricionistas
Federación de Asociaciones de Celíacos de España
Coeliac Australia

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *